Chuva dá trégua na Bahia, mas coloca 749 municípios de MG em alerta por possíveis temporais

Número de desabrigados cai e sistemas de água são religados em território baiano; em Minas, cenário preocupa


Imagens mostram devastação causada pelas chuvas em Porto Seguro, no sul da Bahia - Isaac Nóbrega/PR

As chuvas na Bahia deram trégua nos dois primeiros dias de 2022. Em novo balanço divulgado pelo governo estadual, o número de desabrigados pelos temporais caiu pelo 3º dia seguido. No domingo (2), os registros passaram de 32.737 para 32.594 – uma redução de 143.

Segundo a Superintendência de Proteção e Defesa Civil da Bahia (Sudec), as chuvas causaram 25 mortes e 517 feridos. O número total de atingidos chegou a 661.508 pessoas.


No final de semana, o Brasil de Fato conversou com moradores atingidos pelas mais fortes chuvas que atingiram a Bahia desde 1989. Informações sobre como ajudar nos esforços de auxílio e reconstrução da região podem ser encontradas neste link.


Enquanto o cenário arrefece em território baiano, as preocupações se voltam à Minas Gerais. O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) publicou aviso neste domingo sobre a possibilidade de chuvas intensas, entre 30 e 60 milímetros por hora ou 50 e 100 milímetros por dia, e ventos intensos, de 60 a 100 km/h.


O alerta é válido para quase todo o mapa brasileiro, porém, em Minas são 749 municípios (consulte aqui) em atenção pelo menos até às 11h desta segunda-feira (3).


De acordo com o Instituto, o chamado significa que nessas cidades a chuva pode ocasionar risco de corte de energia elétrica, queda de galhos de árvores, alagamentos e de descargas elétricas.


Em Minas Gerais, de acordo com boletim da Coordenadoria Estadual de Defesa Civil publicado neste domingo (2), as chuvas já causaram, desde o primeiro dia de outubro de 2021, seis mortes e deixou desabrigadas 3.114 pessoas e expulsou de suas casas outras 13.117 pessoas. São 124 municípios mineiros em situação de emergência.


Confira as orientações do Inmet:


1) Em caso de rajadas de vento, não se abrigue debaixo de árvores, pois há risco de queda e descargas elétricas e não estacione veículos próximos a torres de transmissão e placas de propaganda.


2) Se possível, desligue aparelhos elétricos e quadro geral de energia.


3) Obtenha mais informações junto à Defesa Civil (telefone 199) e ao Corpo de Bombeiros (telefone 193).


Sistemas de água na Bahia são religados


Todos os 59 sistemas afetados pelas chuvas na Bahia já foram reabilitados e o abastecimento de água em municípios das regiões do Recôncavo, Vale do Jiquiriçá (baixo sul), Sul, Sudoeste e Extremo Sul está sendo retomado gradativamente.


“O único sistema que ainda não foi colocado em operação é o do município de Caetanos, porque continua chovendo na bacia do Rio Gavião e o acesso à captação do sistema continua muito difícil. A estimativa é colocar o sistema em operação até a noite de domingo (2)”, informou a assessoria de imprensa da Empresa Baiana de Águas e Saneamento (Embasa).


Uma força-tarefa com cerca de 500 colaboradores foi mobilizada para recuperar os sistemas no menor prazo possível. Técnicos da Embasa também estão trabalhando para reconstruir as estações de bombeamento dos sistemas de esgotamento sanitário de municípios situados no Vale do Jiquiriçá. Ao todo, foram seis estações destruídas pela força da correnteza durante a enchente.


Ainda de acordo com a empresa, os temporais provocaram avarias em equipamentos, rompimentos em adutoras e redes distribuidoras de água e impediram o acesso às áreas onde estão localizadas captações ou estações de tratamento da Embasa, inviabilizando sua manutenção imediata. As chuvas causaram ainda danos também em redes elétricas dos municípios, paralisando sistemas de abastecimento de água por falta de energia.


Fonte: https://www.brasildefato.com.br/

0 comentário