Buritirama mineração cobra indenização de bancos

Empresa move processo contra o Santander, cobrando R$ 2,5 bilhões, por prejuízos.



A Buritirama Mineração moveu ação contra instituições financeiras lideradas pelo banco Santander, argumentando que o grupo de bancos negava que a atividade industrial da mineradora era desenvolvida no Estado do Pará.


Segundo a empresa, “estudos revelaram que as relações promíscuas, encabeçadas pelo banco Santander, possuem interesses escusos não revelados nas ações movidas, porque as operações bancárias foram celebradas com o objetivo de favorecer contabilmente os próprios bancos. Dias depois, as execuções eram ajuizadas como se fossem operações comuns num contexto em que o câmbio se encontrava descolado de um padrão anterior praticado no mercado”.


Ainda de acordo com a Buritirama, as filigranas jurídicas utilizadas pelo Santander deixaram o meio empresarial desconfiado, porque os bancos surpreenderam a mineradora com vários processos, sem qualquer negociação anterior, alegando falta de competência da Justiça do Pará para julgar os casos. Em razão disso, a Buritirama resolveu mover processo contra as instituições financeiras, cobrando R$ 2,5 bilhões, por prejuízos causados pelos bancos. A discussão compreende a demonstração de atos nocivos aos empregos e atividade da mineradora, além de pedidos de investigação pelos órgãos de controle do Pará.


Durante o período de negociação com os bancos, a Buritirama afirma que manteve os mais de 3.500 empregos diretos e indiretos, na Região do Rio Preto, na zona rural de Marabá. A alegação da mineradora é que as ações “maldosas” dos bancos causaram graves prejuízos financeiro e social. Além dos funcionários – diretos e indiretos -- a Buritirama informa que ajuda a Prefeitura de Marabá a realizar a manutenção dos cerca de 140 km da Estrada do Rio Preto, por onde ocorre o escoamento da produção da agricultura, comércio e pecuária, investe na construção e reforma de escolas, fomenta a cultura e ajuda a levar atendimento médico a várias comunidades, entre outras ações sociais.


Fonte: Brasil Mineral, assine e tenha acesso a um vasto conteúdo de notícias do setor mineral

0 comentário