Australiana Strike inicia de surpresa produção de minério de ferro no Peru

Em um movimento surpresa, a Strike Resources iniciou a mineração em seu projeto de minério de ferro Apurimac, no Peru, retirando todas as paradas enquanto corre para aproveitar o preço flutuante do insumo siderúrgico. A empresa está operando em duas frentes, também avançando em direção à produção em seu depósito de minério de ferro Paulsens East de 9,6 milhões de toneladas, no sul de Pilbara.


Com o preço do minério de ferro sendo transportado atualmente em cerca de US$ 170 a tonelada e as restrições de viagem por causa da Covid-19 diminuindo, a Strike pisou no acelerador e abriu o desenvolvimento em uma segunda frente, envolvendo mineradores locais para começar a extração de minério de alto teor direto de seu corpo de minério Opaban 3.

Uma operação de teste realizada no ativo em 2013 produziu minério de ferro com teor de 64,35% de ferro e baixas impurezas - produto muito procurado pelos mercados asiáticos para a fabricação de aço.

Nos últimos anos, a situação da Strike no Peru se fortaleceu com a mudança da empresa de uma participação de 60% para 100% no depósito de Apurimac, em um momento em que o governo peruano está procurando melhorar a infraestrutura do país.

O governo agora está propondo construir uma ferrovia para conectar a região que hospeda o depósito Apurimac com o porto de San Juan, na costa do Pacífico, o que aumentará ainda mais a economia da operação.

Embora Paulsens East ofereça à Strike o potencial de gerar fluxo de caixa significativo no curto prazo, o desenvolvimento de Apurimac oferece uma oportunidade de maior escala e prazo para a Strike e, portanto, posiciona a mineradora exclusivamente no mercado com um pipeline de projetos de minério de ferro significativos e atraentes.


As informações são do The West Australian/ Notícias de Mineração do Brasil



0 comentário