Aura Minerals terá desempenho acima do mercado na avaliação do Credit Suisse



O Credit Suisse iniciou a cobertura da Aura Minerals com recomendação de outperform (desempenho esperado acima da média do mercado) e preço-alvo em 12 meses de R$ 1.250 para suas BDRs (Brazilian Depository Receipts). A avaliação positiva do banco se deve à história de crescimento da companhia, que tem potencial para subir ainda mais no futuro.

"Além do crescimento orgânico substancial que estamos esperando (74% até fim de 2024 versus fim de 2020), vemos oportunidades para a Aura buscar crescimento via fusões e aquisições, dada a sua baixa alavancagem e a geração de fluxo de caixa positiva ao longo de seu ciclo de investimento", avaliaram Caio Ribeiro e Gabriel Galvão, autores do relatório enviado aos clientes. Comparada aos pares, a ação da Aura está atrativa. Segundo o Credit Suisse, a falta de valor para a companhia é explicada pelo fato dela ser o único player quase ouro puro listado na Bolsa Brasileira. Sua boa exposição à commodity também corrobora para a indicação de compra, visto que os preços do ouro têm espaço para novas altas com a queda da taxa de juros, o possível acúmulo de pressões inflacionárias e a perspectiva de um dólar mais fraco no futuro. Expectativas de crescimento De acordo com o Credit Suisse, os próximos três meses serão de considerável crescimento para a capacidade de produção da Aura, graças aos seus três principais projetos: Gold Road, Almas e expansão da mina Aranzazu. "Estimamos que a Aura esteja preparada para atingir uma capacidade de produção de 355 mil onças equivalentes de ouro ao fim de 2024 ante os 201 mil onças equivalentes de ouro em 2020", afirmaram Ribeiro e Galvão. "Esse é um driver importante para a nossa projeção de crescimento da receita líquida dos próximos anos, que deve chegar a US$ 527 milhões em 2024". A margem de lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda), que fechou em 31% no segundo trimestre deste ano, deve expandir para 40% em 2024. Já a estimativa de Ebitda é de US$ 212 milhões no mesmo período, ante um montante esperado de US$ 153 milhões para o fim de 2020. As informações são do Money Times.


SINDIMINA - Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Extração, Pesquisa e Benefício de Ferro, Metais Básicos e Preciosos de Serrinha e Região

Rua Macário Ferreira, nº 522 - Centro - Serrinha-BA     / Telefone: 75 3261 2415 /  sindimina@gmail.com

Funcionamento :  segunda a sexta-feira, das  8h às 18h.