ANM vai investigar deslizamento de aterro em Sarzedo

Equipes da Agência Nacional de Mineração (ANM) e da Fundação Estadual de Meio Ambiente (Feam) vistoriaram na terça (10) a área onde ocorreu o deslizamento de um aterro em terreno da mineradora Itaminas, em Sarzedo, na região metropolitana de Belo Horizonte (MG), na segunda (9). Técnicos verificam as causas e possíveis danos às outras estruturas da região.


As informações são da Coordenadoria Estadual de Defesa Civil. Os dados, que são apurados com apoio da Defesa Civil municipal e da própria mineradora, irão compor documentos solicitados pela Promotoria de Meio Ambiente do Ministério Público de Minas Gerais (MPMG).

"Não há um prazo para o envio. Mas o Ministério Público solicitou a emissão de Auto de Fiscalização da Defesa Civil e um relatório sobre o que de fato ocorreu. Nós estamos acompanhando os trabalhos de investigação que a empresa está realizando", declarou a agente municipal de Proteção e Defesa Civil de Sarzedo, Rosa Souza Cardoso.

O deslizamento ocorreu por volta de 11h30 em uma obra de filtragem de minério, a cerca de dois km da barragem da Itaminas. Com o acidente, um caminhão, uma retroescavadeira e um carro ficaram soterrados. De acordo com a Defesa Civil do município, não havia ninguém dentro dos veículos e não há registro de vítimas.

Conforme o órgão de defesa do Estado, a situação na área do deslizamento, que atingiu três veículos, está estabilizada. Ninguém se feriu. Segundo a coordenadoria, os agentes da ANM e Feam "acompanharam as medidas corretivas implementadas pela empresa", que não foram citadas.

A reportagem entrou em contato com a Itaminas por telefone e e-mail, mas ainda não obteve retornos. Ontem, a mineradora se pronunciou por meio de uma nota dizendo que as informações circuladas em redes sociais sobre um possível rompimento de barragem não são verdadeiras.


"O evento trata-se de um escorregamento de aterro de obra civil, não havendo vítima ou dano ambiental, nem tampouco qualquer relação com as barragens, que mantêm os níveis de segurança dentro dos padrões exigidos. Todas as medidas corretivas estão sendo tomadas", informou a mineradora.

Movimento se pronuncia

Também por nota, o Movimento Pela Soberania Popular na Mineração (Mam), organização de apoio às populações atingidas pela extração de minério, afirmou que o deslizamento pode ter causado danos à barragem B4, também da Itaminas, que está posicionada cerca de um km do local do escorregamento.

"Barragem essa que, em caso de ruptura, poderia atingir mais de cinco mil pessoas em sua zona de autosalvamento", declarou Marta Freitas, integrante da coordenação nacional do Mam. Segundo ela, o aterro deslocado é da barragem B2, que não é mais utilizada.

A Defesa Civil de Sarzedo afirmou que está descartado o risco de o deslizamento ter afetado a barragem B2. Em relação à B4, somente a conclusão da vistoria poderá sinalizar eventuais problemas.


As informações são do Hoje Em Dia.

0 comentário