Anglo American anuncia primeira produção de cobre em Quellaveco no Peru

Mina de cobre a céu aberto localizada na região de Moquegua, no sul do Peru, teve sua construção iniciada em 2018, com investimentos de US$ 5,5 bilhões.



A Anglo American anunciou, nesta terça-feira (12), a primeira produção de concentrado de cobre de seu projeto Quellaveco no Peru – um marco importante, segundo a mineradora, pois a Quellaveco se aproxima da conclusão antes de receber a liberação regulatória final para o início das operações comerciais.


“A primeira produção de cobre no Quellaveco é um marco importante na entrega deste ativo de classe mundial, dentro do prazo e do orçamento. O fato de estarmos hoje produzindo cobre menos de quatro anos após a aprovação do projeto, incluindo dois anos de interrupção considerável relacionada à pandemia, é uma prova da força de nosso compromisso com nossa força de trabalho, comunidades locais, região de Moquegua e partes interessadas do governo no Peru. Esta primeira produção de concentrado de cobre marca o início do período normal de testes da planta de processamento com minério e o aumento das atividades de mineração para demonstrar a prontidão para as operações”, afirma Tom McCulley, que liderou o desenvolvimento do Quellaveco pela Anglo American.


“Quellaveco é um projeto para todo o Peru e especialmente para a região de Moquegua. Uma vez em plena operação, o Quellaveco sozinho aumentará a produção de cobre do Peru em cerca de 10% e proporcionará benefícios sustentáveis ​​nas próximas décadas, incluindo 2.500 empregos diretos, a incorporação de fornecedores locais em nossa cadeia de fornecimento, o aumento de fontes de água para consumo humano e irrigação, conectividade digital, expansão de áreas agrícolas e arrecadação tributária. Ao trabalharmos juntos em parceria, forneceremos resultados positivos duradouros para todas as nossas partes interessadas”, destaca Adolfo Heeren, CEO da Anglo American no Peru.


O projeto


Quellaveco é uma mina de cobre a céu aberto localizada na região de Moquegua, no sul do Peru. A construção começou em 2018, com capex total estimado de US$ 5,5 bilhões, que inclui o custo adicional de US$ 600 milhões para gerenciar os impactos da pandemia de Covid-19 desde 2020. Em 2021, a Anglo American também aprovou a construção de uma planta de recuperação de partículas grossas para permitir retratamento de partículas grossas de rejeitos de flotação para aumentar ainda mais as taxas de recuperação de cobre.


Segundo a Anglo American, espera-se que a Quellaveco produza 300 mil toneladas de equivalente de cobre por ano em média nos primeiros 10 anos de operação.


O projeto tem uma estimativa de 1,7 bilhão de toneladas de Reservas de Minério, 8,9 milhões de toneladas de cobre contido e uma vida de reserva de 36 anos, com potencial para expansão adicional devido aos seus recursos minerais adicionais estimados em 1,6 bilhão de toneladas.


A Anglo American espera que a Quellaveco atinja a capacidade de produção de design em 12 meses. A orientação de produção para 2022 é de 100 mil a 150 mil toneladas de cobre. Para 2023 e 2024 a previsão é de 320 mil a 370 mil toneladas. Além da Anglo American (com 60%), o projeto tem ainda a Mitsubishi Corporation (40%) como sócia.


Fonte: Revista Mineração

0 comentário