Amarillo espera LI para projeto de ouro Mara Rosa, em Goiás, ainda em 2020


A Amarillo Gold espera obter a Licença de Instalação (LI) para a mina de Posse no projeto de ouro Mara Rosa, em Goiás, ainda em 2020. A empresa afirmou que já tem a maior parte do capital necessário para desenvolver o ativo e acredita que a LI será concedida “a qualquer momento” para que possa iniciar as obras físicas no ativo.

"Estamos muito satisfeitos com o andamento das negociações sobre o financiamento (do projeto)", disse o diretor-executivo da Amarillo, Mike Mutchler. "Embora a Licença de Instalação esteja pendente, ainda esperamos recebê-la até o final do ano. Continuamos dentro do cronograma para o lançamento de Posse", acrescentou ele, em relatório no qual a companhia apresentou os resultados financeiros do terceiro trimestre e do acumulado do ano.

No documento, a Amarillo ressalta que apresentou o pedido de licenciamento em dezembro do ano passado e que o processo de aprovação "pode ser um pouco mais longo do que o previsto devido às complicações da Covid-19", mas que o governo "parece ter concluído sua revisão e está nos estágios finais do processo".

A mineradora declarou que continua "otimista", principalmente porque o governo de Goiás já anunciou apoio formal ao projeto e disse que a LI é "esperada a qualquer momento". O mesmo ocorre com a autorização de supressão vegetal, solicitada no primeiro trimestre do ano e que a Amarillo "espera para breve".

No comunicado, a Amarillo observa que já realizou a engenharia detalhada do projeto e "se comprometeu" a adquirir os equipamentos necessários à operação, como britador e outros. "Também começou a aumentar seu quadro de funcionários no Brasil, antes de entrar na fase de construção", disse.

Em setembro, a empresa anunciou a indicação de David Laing e Antenor Silva, ambos com conhecimento sobre operações no Brasil, para integrarem seu conselho diretor, justamente com o objetivo de participarem da construção de Posse.


Para o desenvolvimento do projeto, a empresa captou US$ 57,2 milhões com a emissão de ações e afirma que "as negociações estão em andamento para finalizar o saldo do financiamento, sob a orientação da Auramet International".

Resultado financeiro

Na nota, a Amarillo relatou perdas de R$ 1,77 milhão no terceiro trimestre de 2020, uma redução de 71,8% em relação ao prejuízo de R$ 6,29 milhões no mesmo período do ano passado. No acumulado do ano, as perdas chegam a R$ 5,74 milhões, contra R$ 12,82 milhões entre janeiro e setembro de 2019.

Fonte: Notícias de Mineração do Brasil

0 comentário