A importância do conhecimento das geociências para o desenvolvimento sustentável da sociedade




Já pensou em trabalhar na indústria da mineração ou petrolífera? E com paleontologia ou gestão ambiental? Todas essas possibilidades estão abertas para quem se forma em geociências, mas o conhecimento sobre a área não pode se restringir apenas aos profissionais. Ele é de suma importância para qualquer cidadão saber o real valor dos bens minerais no desenvolvimento econômico e social no planeta.

O termo geociências consiste em um conceito abrangente aplicado às ciências relacionadas ao estudo do planeta Terra, contribuindo com a visão integrada do sistema. É fundamental para entender as relações existentes entre as esferas terrestres ou pelo menos a parte dela em que o planeta se formou e se desenvolveu.

Muitas vezes utilizada para entender eventos da natureza como erupções de vulcões, grandes deslizamentos de terra, cheias, inundações, terremotos ou tsunamis, esse conjunto de conhecimentos e ideias sobre geociências é essencial para promover uma nova relação do homem com a natureza. Abre possibilidade para a sociedade tomar decisões e compreender as aplicações dos conhecimentos na melhoria da qualidade de vida.

“Devemos chamar a atenção da população para a necessidade dos bens minerais, e que a mineração responsável é imprescindível para a manutenção de coisas muito simples na vida moderna, pois tudo que usamos em algum momento fez uso de bens minerais. Além disso, problemas atuais como secas e cheias, risco geológico e até mesmo as mudanças climáticas globais estão inseridos no contexto das geociências e sua compreensão e busca por soluções não podem ignorar estes conhecimentos” ressalta a Pesquisadora em Geociências do Serviço Geológico do Brasil – SGB/CPRM, Andrea Sander.

Diante disso, existe um esforço do setor mineral e de outras indústrias para incluir o estudo das geociências e da mineração no ensino infantil e fundamental no Brasil. A ideia é contribuir para a formação de cidadãos críticos e responsáveis com relação à ocupação do planeta. Que utilize de seus diversos recursos para criar meios para diminuir o impacto ambiental das atividades econômicas.

“Precisamos falar de educação em um sentido mais amplo. A nossa sociedade precisa ser educada. E não é somente ensinar a criança a ler e a escrever ou o básico da geologia. A educação deve ser no sentido de valores. Uma forma de ensinar valor ao cidadão é começar quando se é criança. É muito mais difícil ensinar e educar quem já está com pré-conceitos, já que primeiro tem o trabalho de destruir para depois construir um novo conceito. Quando você está em um terreno limpo, você faz somente uma construção”, afirma a Marcela Tainã, gerente do Instituto Minere.

Já existem algumas iniciativas desenvolvidas por diversas organizações no intuito de popularizar o conhecimento das geociências. Para o geólogo, Marcel Mota Reikda, da ArcelorMittal, “o ensino das geociências no Brasil ainda é pequeno perto da grandeza de tudo aquilo que é possível aprender com ele. Toda e qualquer iniciativa, pública ou privada, deve ser valorizada no sentido de que, mesmo poucas e pontuais, fazem muita diferença no desenvolvimento educacional das crianças e jovens deste nosso país repleto de geodiversidade”, diz.

Veja abaixo alguns exemplos de projetos e locais onde pode-se encontrar informações sobre geociências:

Programa SGBeduca: Criado pelo SGB/CPRM, ele disponibiliza materiais sobre geociências para crianças com atividades para a pré-escola até o 5º ano, jovens do 6º ano ao ensino médio, professores e ao público em geral. O material é atualizado quinzenalmente e disponibilizado ao público gratuitamente.

Projeto Mineração para o Futuro: Desenvolvido pela ArcelorMittal, ele tem o objetivo tanto de disseminar o conhecimento das geociências, como realizar um marketing positivo da mineração a partir do compartilhamento de informações sobre o setor mineral. O Mineração do Futuro é desenvolvido atualmente nas salas de aula das escolas públicas dos municípios de Mateus Leme e Itatiaiuçu, em Minas Gerais.

Café Geológico: Também desenvolvido pelo SGB/CPRM, é um ciclo de palestras e discussões sobre temas de caráter científico com ênfase nas geociências, que busca um público diverso, porém técnico.

Canal do youtube Visualigeo: Criado pelo SGB/CPRM, transporta os conceitos geocientíficos para animações, atingindo o público em geral, mas também gestores, políticos e tomadores de decisão.

Canal do youtube Terra001: espaço para divulgação científica, geociências, educação ambiental, conversas, discussões, estudos dirigidos e entrevistas.

Museu de Ciência da Terra (MCTer): É voltado ao público em geral e que reúne mais de 10 mil amostras de minerais brasileiros e estrangeiros e de meteoritos, além de 12 mil rochas e 35 mil fósseis catalogados, e em torno de 100 mil volumes de publicações relacionadas à área de geociências.

Instituto Geoinforma: Organização sem fins lucrativos, que visa reunir pessoas engajadas, que estejam dispostas a trabalhar e agir pelo bem comum, pelo meio ambiente, pelo saneamento e especialmente pelos indivíduos vulneráveis e a margem da sociedade.

Site http://igeologico.com.br / instagram @igeologico: Um dos mais antigos do setor, traz informações e curiosidades sobre geociências e geologia.

Site http://www.sbgeo.org.br / instagram @sbgeologia – Criado pela Sociedade Brasileira de Geologia, o portal divulga as principais notícias e eventos sobre geociências e geologia.

Site https://www.apontepronorte.org: Organização não-governamental que produz e divulga conteúdos geocientíficos, e socialmente relevantes, em linguagem acessível. Busca conscientização da sociedade e uma educação para a sustentabilidade socioambiental.

Perfis do Instagram @divulgageologia e @geohereditas: Criados por pós-graduados do Instituto de Geociências da Universidade de São Paulo (IGc-USP), o primeiro perfil tem o objetivo de desmistificar a geociências de uma forma simples e criativa. Já o GeoHereditas realiza pesquisas voltadas à popularização das geociências e incentivo à geoconservação e geoturismo.

Perfil do Instagram @diariodasgeologas: criado por três mulheres , estudantes de geologia, que compartilham suas vivências sobre a ciência da Terra.


Fonte: Portal da Mineração/ Neomundo

0 comentário