Ação da Vale é mais sugerida pela 10º vez consecutiva por bancos e corretoras



Pelo décimo mês consecutivo, a Vale protagonizou a lista de empresas mais sugeridas em carteiras recomendadas de bancos e corretoras. De acordo com o levantamento mensal realizado pela Forbes, a mineradora teve 15 indicações para setembro, uma a menos que a carteira de agosto e duas a mais que a de julho.

O Banco Safra, por exemplo, neste mês, reduziu o peso da Vale para 13% em sua carteira, mas ainda acredita no potencial da companhia em "continuar gerando um bom fluxo de caixa e manter os níveis atrativos de remuneração aos acionistas, mesmo com a queda recente no minério de ferro". Em agosto, o minério desvalorizou 24,7%, segundo dados da Fastmarkets, na comparação com o mês anterior. Ao mesmo tempo, a Vale destinou R$ 3,6 bilhões para o pagamento de dividendos em 2021, sendo R$ 0,716268 por ação.

A Órama Investimentos disse acreditar que a retomada das economias globais resultará em um novo superciclo de commodities, especialmente no minério de ferro, principalmente em países como a China. "Além da citada retomada, vemos no horizonte estímulos vindo para reforma de infraestrutura nas economias desenvolvidas, o que vai aumentar a demanda por minério no futuro"

Para a Órama, esse crescimento de demanda tem impactado de forma significativa os preços da commodity e, consequentemente, beneficiado as mineradoras de forma geral. "A companhia possui algumas unidades paradas e assim, mesmo que a demanda por minério aumente, será possível honrar os pedidos sem grandes problemas. Seu robusto pagamento de dividendos semestrais é um grande atrativo e uma forma de balancear nossa carteira de investimentos com uma empresa bastante sólida", conclui.

Já para a Terra Investimentos, o balanço da Vale do segundo trimestre reflete ainda a expectativa de forte geração de caixa com cenário de demanda de metais nos países desenvolvidos, com destaque para China e os dividendos previstos para setembro com distribuição mínima de US$ 5,3 bilhões (yield de 4,5%). "A mineradora continua apresentando resultados sólidos com a ajuda de volumes fortes de vendas e preços ainda em patamares altos no mercado da China. Outro fator que influencia positivamente na exportadora é a variação cambial. Preço-alvo 12 meses: R$ 140,00".


As informações são da Forbes.

0 comentário