Yamana Gold analisa expansão de US$ 100 milhões no Brasil


A mineradora Yamana Gold estuda oportunidades de expansão em suas minas, incluindo um investimento de US$ 100 milhões no Brasil, que adicionará cerca de 80 mil onças por ano à sua produção.

Com mais flexibilidade financeira após o acordo de venda de US$ 1 bilhão da mina de cobre e ouro Chapada com a Lundin Mining, a Yamana está considerando uma expansão de duas fases na mina de Jacobina, cuja primeira fase envolve uma otimização da usina para aumentar a capacidade para 6.500 toneladas por dia. Essa fase exigiria capital "muito modesto" e seria implementada em meados do próximo ano, informou a mineradora listada na Bolsa de Toronto (TSX) em seu anúncio de resultados do primeiro trimestre na quarta-feira. A expansão maior da Fase 2, de US$ 100 milhões, aumentaria a capacidade da fábrica para alto entre 8.000 t/dia e 8.500 t/dia, elevando a produção para 225 mil onças ao ano até 2022, segundo a companhia.

Na canadense Malartic, no Canadá, a Yamana está avaliando aumentos de produção de cerca de 75 mil onças equivalentes de ouro (GEO, na sigla em inglês), com base em sua participação de 50%. Os custos e a economicidade do projeto estão atualmente sob avaliação. "Essas oportunidades, incluindo as de outras minas, terão custos totais menores do que os planos anteriores [de investimento] para Chapada", afirmou a Yamana em nota divulgada dia 01/05).

Produção

Enquanto isso, a mineradora de ouro superou suas expectativas de produção para o primeiro trimestre, com produção de 271.987 GEO, graças a um aumento anual de 12% na mina Jacobina e 6% em Minera Florida, no Chile. Em Jacobina, a produção no primeiro trimestre deste ano foi de 38.617 onças, 12% acima da produção de 34.525 onças de janeiro a março de 2018. A produção total de ouro aumentou de 199.555 onças no primeiro trimestre de 2018 para 235.958 onças no trimestre em análise, com alta de 18%.

A produção de prata saltou de 899.261 onças para 3,02 milhões de onças no mesmo período. Enquanto a produção de cobre, extraído da mina Chapada, chegou a 28,1 milhões de libras. Os custos operacionais totais (AISC) no primeiro trimestre foram de US$ 865 por GEO, enquanto os custos desembolsáveis foram de US$ 526 por GEO. O custo total de vendas foi de US$ 1.098 por onça. O prejuízo líquido de operações do grupo atribuível aos acionistas da Yamana foi de US$ 4,1 milhões, incluindo itens não monetários e outros que reduziram os ganhos em US$ 28,1 milhões. Os ganhos ajustados foram de US$ 24 milhões, ou US $ 0,02 por ação.


SINDIMINA - Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Extração, Pesquisa e Benefício de Ferro, Metais Básicos e Preciosos de Serrinha e Região

Rua Macário Ferreira, nº 522 - Centro - Serrinha-BA     / Telefone: 75 3261 2415 /  sindimina@gmail.com

Funcionamento :  segunda a sexta-feira, das  8h às 18h.