SINDIMINA - Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Extração, Pesquisa e Benefício de Ferro, Metais Básicos e Preciosos de Serrinha e Região

Rua Macário Ferreira, nº 522 - Centro - Serrinha-BA     / Telefone: 75 3261 2415 /  sindimina@gmail.com

Funcionamento :  segunda a sexta-feira, das  8h às 18h.

40% dos requerimentos de pesquisa no PI de 2002 a 2007 foram de minério de ferro


O geólogo Magno de Sá Freitas afirmou no estudo “Geologia e Recursos Minerais da Folha Riacho Queimadas” que mais de 40% dos requerimentos de pesquisa feitos no Piauí de 2002 a 2007 foram de minério de ferro. O estudo também aponta que o Estado ocupa a décima sétima colocação no ranking nacional de requerimentos de pesquisa.

Segundo ele, essa ascensão do Piauí no ranking nacional foi devido, em grande parte, aos pedidos de requerimentos de pesquisa de minério em geral, em especial os de ferro, seguido pelo fosfato destinado ao uso de fertilizantes.

Freitas afirma que foram cadastrados 17 novos recursos minerais de diferentes classes, assim como checados seis recursos anteriormente cadastrados, totalizando 23 pontos, distribuídos como quatro ocorrências de granito, dois de ferro, três de níquel, um de cobre, três de arenito, duas de areia, quatro de quartzito, duas de mármore, um de amianto e um de pegmatito.

De acordo com o estudo, essas reservas se encontram distribuídas em minerais metálicos; insumo para agricultura; materiais para a construção civil; outra ocorrência se refere a um veio de quartzo (quartzito); e um depósito de amianto.

A região da Folha Riacho Queimadas localiza-se no sudeste do Estado do Piauí. Foram mapeadas áreas do município de São Francisco de Assis do Piauí, de área próxima da cidade de Lagoa do Barro do Piauí, São João do Piauí e regiões da bacia do rio Parnaíba.

Investimentos

Em sua pesquisa, o geólogo encontra jazidas de níquel, amianto e indícios de ouro. "A Folha Riacho Queimadas é, do ponto de vista da geologia econômica, uma das áreas mais importantes da faixa de dobramentos Riacho do Pontal, notadamente no segmento crustal inerente ao Complexo Brejo Seco. Dentre os recursos minerais já detectados, estão duas jazidas, uma de níquel e outra de amianto. Como ocorrências e/ou indícios diretos e indiretos tem-se sulfeto de metais básicos e ouro", afirma.

De acordo com ele, também foram cadastradas, como litologia minério, uma ocorrência de calcário e vários corpos de granito e de quartzito para uso em construção civil.

"Embora a área esteja localizada dentro do Polígono das Secas, deve-se levar em consideração a relativa proximidade do rio São Francisco e, de modo especial, os polos econômicos emergentes representados por Petrolina (PE) e Juazeiro (BA). A região possui mão de obra farta e semiespecializada. Acrescente-se a estes fatos, que qualquer investimento na área ajudaria, sobremaneira, os nordestinos que lá habitam, o que, por si só, já justificaria subsídios do governo, no que diz respeito à infraestrutura básica, abertura de estradas, fornecimento de energia elétrica, água", diz Freitas.

Níquel

Freitas afirma, em seu estudo, que uma jazida de níquel localiza-se no quadrante da Folha Riacho Queimadas, a pouco mais de 50 quilômetros de São João do Piauí, nas encostas do corpo serpentinítico da Serra do Bacamarte.

A reserva de ferro é da ordem de 20 milhões de toneladas de minério, enquanto as reservas de níquel chegam a 88 milhões de toneladas, com teor de 1,57% de níquel, segundo informações da empresa Vale. As informações são do jornal Meio Norte.

Fonte: https://www.noticiasdemineracao.com/metais-b%C3%A1sicos/news/1354234/40-dos-requerimentos-de-pesquisa-no-pi-de-2002-2007-foram-de-minerio-de-ferro