Índios e garimpeiros interditam duas rodovias por legalização de garimpos


Um grupo de 150 indígenas munduruku e garimpeiros mantêm interditadas desde sexta-feira (2) duas rodovias no Pará pedindo a legalização do garimpo na região. Estão fechados trechos da BR-163, conhecida como Santarém-Cuiabá, e da BR-230, a Transamazônica, e não há previsão para a liberação das pistas.

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) informou que a principal reivindicação é o encerramento das operações de combate às atividades de garimpos ilegais e desmatamentos em áreas indígenas. Além disso, os manifestantes querem a legalização dessas atividades, conforme Projeto de Lei de N°191/2020, que autoriza e estabelece critérios para a exploração mineral em reservas indígenas.

Os manifestantes afirmam que se beneficiam da extração de minérios na região e se sentem prejudicados pelas fiscalizações. Nas faixas que exibem, pedem para terem a permissão para trabalhar. O Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) já apresentou à Justiça pedido de reintegração de posse para a liberação das vias.

A PRF informou que o congestionamento na BR-230, próximo ao município de Itaituba, já chega a 20 quilômetros nesta segunda-feira (5).

Essa é a segunda vez que os grupos ocupam rodovias no Pará para reivindicar a legalização das atividades de garimpo, na mesma região. A primeira vez ocorreu na rodovia BR-163, próximo ao município de Novo Progresso, no dia 17 de agosto. A via só foi liberada quatro dias depois mediante decisão judicial. As informações são do Uol e do G1.

SINDIMINA - Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Extração, Pesquisa e Benefício de Ferro, Metais Básicos e Preciosos de Serrinha e Região

Rua Macário Ferreira, nº 522 - Centro - Serrinha-BA     / Telefone: 75 3261 2415 /  sindimina@gmail.com

Funcionamento :  segunda a sexta-feira, das  8h às 18h.